sexta-feira, 14 de agosto de 2015

O Cientista e o Pesquisador



Outro dia um colega pensador, Antônio Marcos Andrade, me provocou: "qual a diferença entre pesquisador e cientista?"

Pergunta pertinente, pois todo cientista é pesquisador, mas nem todo pesquisador é cientista. 

Pesquisador persegue a certeza. Cientista é deslumbrado com a incerteza.

Pesquisador tenta explicar o mundo. Cientista tenta entender o mundo. 

Pesquisador tende ao dogmatismo. Cientista tende ao ceticismo.

Pesquisador pensa de forma determinística. Cientista pensa de forma probabilística. 

Pesquisador é presunçoso. Cientista é humilde em reconhecer a incerteza de suas crenças. 

Pesquisador persegue resultados positivos. Cientista persegue a verdade.

Pesquisador é cartesiano. Cientista é apaixonado pelo acaso. 

Pesquisador pensa em valor de P. Cientista pensa em intervalo de confiança. 

Pesquisador é hierárquico e formal. Cientista é horizontal e informal.

Pesquisador usa gravata. Cientista quase nunca. 

Pesquisador se frustra quando suas expectativas são contrariadas. Cientista se deslumbra com o inusitado. 

Pesquisador produz artigos. Cientista produz conhecimento.

Pesquisador usa “comparar" ou “correlacionar” na descrição do objetivo da pesquisa. Cientista usa “testar a hipótese”. 

Pesquisador se baseia na lógica como evidência. Cientista, filósofo que é, parte da contra-lógica para depois chegar à lógica. 

Pesquisador se preocupa com o numero de citações. Cientista se preocupa com quem citou seus trabalhos. 

Pesquisador persegue premiações para seus trabalhos. Cientista é premiado pelo processo de crescimento que acompanha sua atividade de pesquisa. 

Pesquisador vive na era industrial. Cientista vive na era do conhecimento.

Pesquisador procura eficiência. Cientista procura excelência.

Pesquisador coordena um laboratório de experimentação. Cientista lidera um grupo de pensadores ávidos pela verdade. 

Pesquisador se preocupa com a meta. Cientista se preocupa com o trajeto.

Pesquisador pensa linearmente. Cientista reconhece que o mundo é regido pelo caos.

Pesquisador confunde fenômenos com explicações. Cientista reconhece fenômenos e amplia sua consciência a procura de explicações multifatoriais. 

Pesquisador persegue a prova de sua crença. Cientista preserva a hipótese nula, até que se prove o contrário.

Pesquisador pensa no impacto da revista. Cientista pensa no impacto de sua ideia.

Pesquisador aprende por repetição. Cientista aprende por emoção. 

Pesquisador é gestor de projetos. Cientista é um líder de pessoas.

Pesquisador é na caixa. Cientista é fora da caixa. 

O sonho do pesquisador é ser reconhecido como o melhor. O sonho do cientista é ser superado por seus discípulos. 

Pesquisador canta Maria Betânia em Gabriela, “Eu nasci assim, eu cresci assim, eu sou mesmo assim, vou ser sempre assim”. Cientista canta Lulu Santos, “Nada do que foi será.”

E a maior distinção de todas: o pesquisador procura as respostas certas, enquanto o cientista procura perguntas certas.

Quantos pesquisadores e cientistas você conhece?

[Cadaste-se gratuitamente em nosso mini curso 100% Online:"Os princípios da medicina baseada em evidências" no: www.medicinabaseadaemevidencias.com

6 comentários:

  1. ótimas comparações ... legal identificar-se momento como cientista e momentos como pesquisador ... pessoalmente espero me tornar cientista um dia, obrigado pela sugestão de leitura professor Luis Cláudio.

    ResponderExcluir
  2. A scientist is a poet, while the researcher just looks after another dissertation.

    ResponderExcluir
  3. A profissão "CIENTISTA" não existe no Brasil de acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego. Ao que parece a ciência brasileira é feita por pós-graduandos e professores universitários em horas vagas...

    ResponderExcluir
  4. Se me permite Luis, o pesquisador tem cartão de ponto. O cientista já "bateu a sua entrada" ao nascer e só baterá mais uma vez..., a saída.
    Ao Valter, com todo respeito à via que usou para tratar, não se trata de uma questão laboral, é essencialmente filosófica (que inclusive justificaria o "PhD"...).
    Parabéns,
    José Ricardo

    ResponderExcluir
  5. Professor Luis, só tenho a agradecer pela textos provocativos que me instigam o pensamento, que me auxiliam a pensar por mim mesmo e evitar as fórmulas prontas de pensamento, tão comuns hoje em dia. Quero tão logo quanto possível fazer seu curso online, visto que resido em Brasília. Meus agradecimentos.
    Thiago Prates

    ResponderExcluir
  6. Professor Luis, parabéns pelas belas reflexões. Fico imaginando como seria hoje a vida de um cientista como Paulo Freire; apesar de suas ideias terem impactado diversos pesquisadores e seus estudos sido traduzidos em diversos idiomas, provavelmente seu currículo não estaria condizente com os preceitos de avaliação da CAPES para integrar o corpo permanente de um Programa de pós-graduação stricto sensu.
    Enfim, precisamos fortalecer a pesquisa e desenvolver a ciência do nosso Brasil.

    ResponderExcluir